Home

17 de nov de 2010

Projeto de Reflorestamento Pamine


 
Ibkaye esame esed sade pamine wa e

2005 ekao mim gambe-ey edena awenhaman ena ma e. Eebo tajena paĝara dana baga e, tajena iweman awekay ena e. Ete Ĝara de baga eka paladela pasoden aniin e, tajena iwenhan ena e. Eebo ena aje awemanhan epi tajena yepala ibkay apa bo gara de baga eka kapi ka iin, tajena ena e. Ena gamebe-ey emasoeman esed sade Metareila wa e, dena iwe kare maan etig mii ena e. Ete game-ey dena xariga ter ib ekay ena e, yara ma ibkaye ena te ĝara ma ibkaye ena e, paba pamalomiin wa yelena e.Ibkaye esame esadena maite ena paiter esade gara atig alade ewemi agara alawata eweyõ ena e.

(TRADUÇÃO EM PORTUGUÊS)
O projeto de reflorestamento do clã Gãmeb ( do povo indígena paiter Suruí )
iniciou-se em 2005 com o objetivo de reflorestar áreas desmatadas dentro do território da terra indígena 7 de setembro. O projeto esta sendo realizado com sucesso, para conseguir este objetivo, estamos buscando parcerias técnicas nas mais diversas áreas, com parceiros brasileiros e estrangeiros. Outro objetivo é disponibilizar mudas de arvores para serem plantadas junto aos colonos, fora do território indígena, inciando o projeto com o plantio ás margens dos igarapés e rios para recuperar a mata. O projeto também oferece capacitação para os indígenas, formando técnicos em agentes ambientais competentes para o processo de defesa e preservação do seu patrimônio território.

Mapimai festa da criação do mundo



Os suruis de Rondônia,conhecidos como  os ‘indíos cantores’ se autodenominam “paiter,” que quer dizer gente de verdade. Vivem na terra indígena sete de setembro ao norte do município de Cacoal, com uma população de aproximadamente 1.350 pessoas falantes da língua materna tupi-monde.
O Mapimaí é uma festa da cultura do povo Paiter Suruí. Essa manifestação é uma forma de uma valorização da cultura Paiter, podemos expressar que o Mapimaí é uma festa de comemoração da criação do mundo, e é uma forma de reconciliação e busca de equilíbrio entre homem, cultura e natureza.            
A festa do Mapimai é uma festa comemorando a criação do mundo. Os Suruí tem se dividido em quatro grupos, ou clãs, que são: Gãmeb, Gãbgir, Makor e Kaban. Os grupos dos Kabaney tem ficar longe, no outro lado dos grupos do Gãmeb, Gãbgir e emaor.A festa tem sido muito organizada pelos indígenas. Os três grupos oferecem a bebida, chamada xixa, para outros  grupo.
Essa festa faz parte da cultura do povo Paiter e é muito importante para o projeto de fortalecimento cultural do povo Suruí, reunindo os clãs Paiter Suruí e restabelecendo sua identidade cultural.


      Tradução para a língua tupi- monde:

MAPIMAI baga mawe de awe magã ewe.

 Surui-ey de Rondônia e ey sadana Mereweo-ey na ani e, ayab ey ja na PAITER ana e. Ayab ey sadana 7 de setenbro eka ana aní, Mato Grosso e maih anar abi koy, ete paiter katxer esadana 1.350.
Mapimai edena  arixá paiter esade amasoe mi ewe e. Mapimaí edena apin soe de ka paiter Sade arixá me magã iwe  matxor ewe ena e.
Eebo Paiterey esade na asarey itxa arixá:gameb, gabgir e makor. Ete kabaney Sade arixáme  esaba koderid asarey itxa ena . Ete arixáme esadena guya xiter awemaga ani e.
 
 Por: Oyxibo , Odete , Luan , Naraicomini e Pilatos

16 de nov de 2010

Ponto de Cultura Maloca Digital realiza oficina sobre mídia para web


Riozinho, 16 de novembro de 2010.

Durante os dias 16 e 17 de novembro Jovens da etnia Suruí estão participando de uma oficina de ferramentas colaborativa e criação de paginas para Web.
Junto com os Jovens Suruí que participam do Ponto de Cultura Maloca Digital, a oficina ira desenvolver uma página da Web, que tem por objetivo servir como referência para publicação das atividades do Ponto de Cultura.


video






Ponto de Cultura Maloca Digital

Oficina de Blogger com os jovens indigenas Suruí Paiter
( Em Suruí Paiter )
   Ponto de cultura edena labiway ede soe same magã ena é, ãmi paiter-ey  eyaba amã soemã  awekay a wesãme ena é.
  Ete Ponto de Cultura esed agã toyên Metareilá ey je Maloca Digital esadena Suruí a oilûd-ey akoba  soe eixo mãme esameka ena é, ena aje akoba emi tayaba aweytxa yele same ikim matoh paiter amitor ka ewe same tohta wa ena é.
  Ponto de cultura Maloca Digital sadena oylûd-ey sade Cacoal exiga-ey akoba ena soe same ikim emato polosade computador emi ani eweka ena é, ebo tasadena akoba ajemi asarey ixo mãh, tamaxod ixo mãh, merewa tasade ewe mãh, arixã tase ewe ixo mãh tasadena akobãmemi ena ani é. Ewe ixo magã tasadena computador ka paiter amitor ka , ana te toyxa toyeitxa ani poh ena ani é.
   

( Tradução em português )
O Ponto de Cultura é um programa do governo Cultura viva, que permite um espaço permanente para fazer articulações para as demais atividades.
   Ponto de cultura Maloca Digital  visa a democratizar os jovens indígenas Suruís para produção em multimídias e reapropriação tecnológicas para fins sociais, criando assim uma referência em cultura digital.     
  O ponto Macola Digital tem como finalidade o empoderamento de jovens indígenas do município de Cacoal- RO envolvidos diretamente no projeto comunicação em rede de e capacitação em produção de multimídia, disponibilizando acesso ás tecnologias digitais nas atividades, nos produtos do povo suruí, tais como: artesnato , música, rituais visando visando o fortalecimento da cultura do povo indigena Paiter Suruí. 


Por: Ubiratan Gamalodtaba Suruí
        Luan Mopib gorten Suruí


Clã kaban


Texto em Tupi Mondé:

Paiterey ema clã amakab kaban dana é. Ayab esed daor ena kabaná  epi é, eyab ema amarelo e atira dete ena é. Ete kaban dena apin Cinta Larga ema waled mi é, eyab gatxer ta sadena é, Paiterey pekab nãn ter tasadena é .  Ayab wey sadena ãnyb ama soe namá itxa e né, mun sadena Rondônia ena é, ete masa dena é  Rondolândia Mato Grosso. 

Tradução para Português:  

O kaban é um dos clãs do Povo Paiter Surui. O nome kaban venho de fruta chamado kabaná que é amarelo com gosto azedo. O clã kaban se originou de uma mulher  Cinta Larga que um Paiter Surui catou ou levou do esposo dela quando estava em guerra com os  Cinta Largas, é hoje o clã kaban é a metade da população do Povo Paiter Surui.
O clã kaban também tem duas Associações uma em Rondônia e outra em Mato Grosso (Rondolândia).


Por : FRANCISCO SURUI

Assembléia dos Paiter Surui


Novembro ema 10-12 ekao sade 2010 nã emi Paiterey je awepato tiga awemayãh  Lapetanha ema aldeia ka e. Ate paweitxa we same sa tãhga ina anii  tajena awekay ena e. Neh me same na tajenena e, kalena pagina pamasoden anin, tajena iwekar aweariga ter ena awekay e. One palina kobar boh paweitxa we same ikin pawekabi aniih, iwe dena iwemãh awekay ena e. Ee bo paiterey jena awe kay e, yepala pamasoe maga palade muy poy anim e ewe same maga pawe kabi in.
Ena te awenhan alaba paiterey ema ikay eey jena awekay é, mater pamere dena paweitxa sona xogüih maé, one paweitxa dina iwesore ener sona é. E bo yara de pawentiga etimii paweitxa be dena awesore tem ena e. Kalena nan,paka wena  nan yara dena anen pagay e, ta jena iwe mam aweka e. Etig mi paiterey dena kama pama alamam tene yara sade pagay anin eka mam ena awekay ena e. Ate pala palabiway eey emaga ani in tajena iwekay e. Ena iwe same pagawe dena e. Eebo ekarba ka paiterey jena asaliway etoraga ena e, ena te ikay-eey epi katxer etoraga yaba labiway ematoh nan aye wa yelena ena e, enan yelemin  ee labiway esadena paiterey kabi soena ena e.

(Tradução para o Portuguẽs)
Entre os dias 10 a 12 de novembro de 2010, o Povo Indígena Paiter Surui reuniram na aldeia Lapetanha/Terra Indígena Sete de Setembro, para discutir a política interna do Povo. A intenção é para que o povo possa refletir sobre o processo de funcionamento da política, e a assim construir uma forma de melhoria dessa política para o Povo Surui.
Antes do contato com sociedade não-indígena o Povo Paiter sempre teve sua política tradicional, onde a organização do Povo funcionava conforme o mesmo. E atualmente após o contato os Paiter perceberam a importância de conhecer a forma de funcionamento da política dos não-índios, que hoje também fazem parte da realidade do Povo, assim é necessário para os Paiter hoje ter conhecimento das duas formas de política do tradicional e política dos não-índios. Com essa visão a proposta da discussão na assembleia foi a criação do Parlamento Paiter, para eleger novos representantes do Povo Indígena Surui. Assim foram atingidas alguns resultados importantes da reunião, onde foram criadas a conselho dos mais velhos compostas por todos os clâs dos Paiter (Gameb,Kaban, Makor e Gamir), foi eleito LABIWAY E SAGA (Chefe maior) que é Almir Narayamoga Surui e também foi formado comissão eleitoral composta por todos os clâs, essa comissão ficará responsável pela articulação que irá facilitar para a eleição dos LABIWAY-EY (Líderes) em dezembro de 2010.

Por: Urariwe Surui
 

A HISTORÍA DO CLÃ GAMEB DE RONDÔNIA.

Os gamebey e uns dos grupos clânico que é composto o povo indígena Paiter. Também conhecido como os Surui de Rondônia. Gameb (maribondo preto) em tupi-mondé, idioma falada pelo povo Paiter. E o gamebey e o plural do Gameb significa ( os maribondos pretos). Segundo a historia Paiter, os Gamebey sempre foram os grupos que chefiaram o povo Paiter. Sempre atuando na organização  das festas tradicionais, reuniões, guerras e outras manifestações culturais do seu povo. A fácil relação de amizade e contato se tornou mais confiança e credibilidade por parte de outros grupos clânicos que são: Kaban, Makor e Gabgir. Que os sempre apoiaram. Assim desta forma fortalecendo a sua luta e autonomia em defesa do Povo Paiter.

Autor: Gasodá Surui